Buscar
  • PM

WandaVision: Análise Episódio 7

O teu apoio ajuda a manter o site online e a crescer ainda mais. Podes apoiar através do nosso Patreon, do Buy me a Coffee ou através de um Donativo. Obrigado pelo apoio!

WandaVision

Esta análise contém spoilers para o episódio 7 de WandaVision, agora disponível para visualização na Disney+. Para relembrar o ponto onde ficámos, veja a nossa análise do episódio 6 de WandaVision.

Em grande parte do episódio desta semana de WandaVision, baseado em "Modern Family", é facilmente concebível que o programa tenha lançado o seu primeiro episódio "de preenchimento". Com Vision e Darcy, a ficar presos numa carrinha durante meia hora, cujo move o enredo apenas ligeiramente mais além do que a própria carrinha, enquanto Wanda passa quase todo o tempo no seu pijama apenas a fazer a sua melhor impressão de Claire Dunphy. Mas tudo isto é a calma antes da tempestade, uma vez que o episódio sete lança a maior reviravolta da história pouco antes do lançamento dos créditos, e fá-lo com estilo.


Agnes revela-se como Agatha Harkness, uma das personagens mágicas da Marvel e uma parte enorme e traiçoeira da vida de Wanda nos livros de banda desenhada. Longe de ser uma cativa no mundo da ilusão de Wanda, Agatha tem - como diz a sua música cativante mostra - puxado todos os cordelinhos perversos desde o início. O número musical é usado para mostrar numerosos momentos de episódios anteriores de WandaVision e revelar que Agatha estava por detrás deles, desde matar Sparky, o cão, até trazer Pietro para este mundo.


A sequência é uma grande demonstração dos talentos de Kathryn Hahn, com algumas grandes manifestações faciais malignas e o perfeito cacarejar de bruxas. Com o segredo agora em aberto, esperemos que os dois últimos episódios permitam finalmente a Hahn ocupar o centro do palco. Ela tem sido a maior fonte de potencial não explorado da série, e por isso é uma pena que tenhamos tido de esperar tanto tempo para a colocar no centro das atenções.

wandavision agatha

Para os fãs que não lêm as bds, esta revelação pode ter surgido do nada, especialmente porque a Agnes não fez nada de verdadeiramente suspeito no ecrã, o que não altera o seu impacto. No entanto, há muito que é uma teoria entre os fãs mais obsessivos que Agnes é Agatha Harkness. Mas à medida que os episódios foram passando, ela parecia ser cada vez menos a culpada, especialmente depois do seu encontro desnorteado com Vision no episódio seis. Apagando a vela sobre esta teoria, apenas para a reacender um episódio mais tarde, é um acto de timing ideal do apresentador Jac Schaeffer, e garante que a revelação ainda carrega algum impacto, mesmo que tenha apenas uns breves minutos de tempo no ecrã. E com a parte da história de Agatha confirmada, abre a porta de modo a novas teorias sobre as suas intenções para Wanda e os seus filhos, bem como o potencial para personagens como Mephisto ou mesmo Chthon fazerem a sua estreia no MCU.

Noutras grandes revelações, o regresso de Monica a Westview através da barreira hexagonal parece ter activado os seus poderes, colocando-a um passo à frente no caminho de se tornar a sua contraparte na banda desenhada, Spectrum. Os brilhantes olhos azuis, estranha visão electromagnética, e invulnerabilidade ao poder de transformação do hex, tudo indica que podemos estar bem encaminhados para obter uma super-heroína da classe de Captain Marvel, no final. Também é interessante ver o desenho do seu uniforme SWORD a funcionar como um protótipo do seu traje de heroína das BD's.

wandavision-ep-7-monica

No entanto, o conteúdo da Monica aqui é tudo uma forma de antecipação e não de compensação imediata, algo que caracteriza o episódio como um todo. É bom receber dicas do seu passado e ouvir vozes da Capitã Marvel, mas este é um episódio que trata muito mais de colocar todas as peças na posição correcta para o final, do que de fazer algo massivo com elas. Felizmente, isso não torna as revelações menos emocionantes, mas a construção do episódio não significa que todas as personagens se sintam de certa forma mal tratadas até aos dez minutos finais. Jimmy mal recebe uma palavra, e a revelação do contacto de Monica - um bando de militares com um camião espacial - é particularmente pouco especial considerando algumas das surpresas que a WandaVision criou no passado. Pode ser apenas um fator de estarmos mal habituados até ao momento e querermos cada vez mais e melhor.


Do trio da SWORD, Darcy tem o maior tempo de ecrã, mas resigna-se a entregar um despejo de informação ao Vision durante todo o episódio. Mais uma vez, isto é importante para o que está para vir, mas significa que o lugar do Vision na história esta semana seja inteiramente um receptáculo para apresentação. Também parece estranhamente calmo em relação a tudo isto. Haveria certamente mais efervescência se Vision tivesse sabido isto de Wanda, mas - mais uma vez - lança as bases para algo mais excitante nos dois episódios finais.

wandavision-episodio-7 vision

Relativamente à própria Wanda, bem, Elizabeth Olsen pode certamente fazer uma impressão fantástica de Julie Bowen. Os seus movimentos de mão e entrega enfatizada é uma réplica perfeita de Claire Dunphy de Bowen, da Família Moderna. De facto, a homenagem é talvez um pouco excessiva, pois Wanda sente-se menos como Wanda esta semana até ao seu encontro final com Agatha. No entanto, a sua rotina de estar em casa dá à série um momento para reflectir sobre os seus problemas até agora. Juntamente com o anúncio dos comprimidos Nexus, é evidente que Wanda progrediu para além da sua fase de mágoa e entrou em depressão, bem visível pela casa instável à sua volta. Depois de a ter feito passar por vilã em vários episódios subsequentes, a série está a fazer esforços para tornar Wanda receptiva de novo, a qual a "casa" com a revelação de que ela é, pelo menos parcialmente, uma vítima dos esquemas de Agatha.


Isolar Wanda por um episódio significa a ausência de Pietro, mas isto não significa uma completa ausência de Quicksilver. Na primeira cena de créditos do programa, Evan Peters chega de modo ameaçador para interromper a descoberta da cave de Agatha por parte de Monica. É mais uma dica, que combinada com o que sabemos sobre a Agatha, coloca muitas questões sobre a natureza de Pietro, e potencialmente derruba todas as nossas teorias dos X-Men no lixo.

Em Suma:


O Episódio 7 tem uma primeira metade lenta e praticamente desprovida de acontecimentos, o que torna difícil de ser verdadeiramente amada, mas esse ritmo funciona para enfatizar as revelações significativas da sua última metade, que fornecem uma reviravolta que transforma pelo menos parte desse enchimento numa autentica experiência. Tal como as coisas pareciam estar a ser enroladas, o rastilho é aceso numa caixa de pólvora cheia de grandes momentos da banda desenhada que, mais uma vez, terá fãs a teorizar freneticamente durante mais uma semana. Pode ser, em última análise, mais um episódio de preparação, mas é aquele que revela a verdadeira natureza das suas peças e eleva os picos de entusiamo para o máximo.