Buscar
  • PM

The Walking Dead será "brutal" e "sombrio" para a última temporada segundo diretor

O teu apoio ajuda a manter o site online e a crescer ainda mais. Podes apoiar através do nosso Patreon, do Buy me a Coffee ou através de um Donativo. Obrigado pelo apoio!

 

O diretor de conteúdos de Walking Dead, Scott Gimple, avisa que a décima primeira e última temporada, que começa a 22 de Agosto, é "realmente brutal" e "muito, muito sombria".


"Não totalmente [obscuro e sombrio]. Há algum sol entre a escuridão, mas as coisas mais sombrias ficam muito, muito, muito, muito sombrias", disse Gimple ao TWDUniverse no Twitch sobre a Temporada 11. "Mas não é implacavelmente sombrio. Há algumas partes luminosas".

the walking dead

Os produtores já preveniram o regresso dos Reapers após um atacante camuflado ter quase morto Daryl e Maggie, que é "marcado" por uma pessoa misteriosa conhecida como "Papa". Depois há a mudança mais obscura do Padre Gabriel (Seth Gilliam) - que chocou Aaron (Ross Marquand) quando matou Mays (estrela convidada Robert Patrick) a sangue frio - e uma pergunta sobre se os sobreviventes serão forçados a abandonar a sua casa que cresceu com novas adições como Maggie e o seu filho Hershel Rhee (Kien Michael Spiller) de oito anos.


"Sem entrar demasiado no assunto, há um nível de intensidade nestes episódios que é tanto uma intensidade da ameaça misturada com a intensidade das emoções por detrás disso, como várias histórias das personagens que se misturam com isso", disse Gimple. "Há neles algumas coisas realmente brutais, e no entanto afecta directamente algumas das nossas personagens mais amadas e ligações às suas histórias de formas que veremos".


As ameaças, e as emoções, correm alto quando The Walking Dead regressar com novos episódios que começam a 22 de Agosto, no AMC.

 

Geek a tempo inteiro, PM é o fundador do projeto Tretas do Cromo. Podes segui-lo no Instagram em @senhor_pm e no twitter em @senhor_pm.