Buscar

Lídia Franco revela que se sentiu agredida por Adam Driver

O teu apoio ajuda a manter o site online e a crescer ainda mais. Podes apoiar através do nosso Patreon, do Buy me a Coffee ou através de um Donativo. Obrigado pelo apoio!

Lídia Franco Adam Driver

Adam Driver, ator que o mundo reconhece como Kylo Ren na mais recente trilogia de Star Wars e que foi mais recentemente reconhecido pela interpretação no filme Marriage Story ao lado de Scarlett Johansson, foi acusado pela veterana atriz portuguesa, Lídia Franco, de um comportamento inaceitável, agressivo até, durante a produção de 'O Homem Que Matou D. Quixote'.


A atriz fez a revelação durante o podcast 'Era O Que Faltava', da Rádio Comercial, perante o olhar incrédulo de Rui Pêgo e Ana Martins. "Guardo desse filme uma péssima experiência por causa do Adam Driver (...) é uma péssima pessoa" (via Sapo).


A história remonta à produção do filme de Terry Gilliam em 2018, na qual Driver veste a pele de Toby Grisoni. Lídia Franco conta que Adam Driver se "portou-se muito mal comigo, fisicamente. Agrediu-me. Não tinha nada a ver com a cena. Era uma agressão camuflada, com uma cadeira," diz, evitando entrar em pormenores.


Estão longe de ser uma novidade os estranhos e exuberante comportamentos das estrelas de Hollywood, a atriz diz que Adam Driver é uma dessas "prima donnas", que durante as gravações, exigia que os técnicos saíssem de cena durante os ensaios. Àqueles que se recusavam dizia, ‘virem-se de costas’.


"Ele exigia, acho que por contrato, que ninguém podia olhar para ele. Se olhassem, os figurantes eram imediatamente despedidos. E aconteceu", conclui. Podem conferir a conversa completa no podcast da Comercial.