Buscar
  • PM

James Gunn revela final alternativo para The Suicide Squad

Atenção aos spoilers...

 
the suicide squad

O realizador de The Suicide Squad, James Gunn, explicou porque sentiu que o final original do filme da DC era "demasiado sombrio" para fazer no corte final.


Gunn tinha "carta branca" para matar qualquer personagem que quisesse no seu filme R-rated (Maiores de 16 anos), mas houve uma morte um personagem que acabou por decidir retirar porque sentiu que resultaria num final "demasiado sombrio". Gunn tinha originalmente contemplado matar a Ratcatcher 2 de Daniela Melchior, no entanto, optou por mudar a cena antes de submeter o guião final.

O cineasta delineou recentemente os detalhes de como esse final original se teria desenrolado ao CinemaBlend.

"No final do filme, Ratcatcher 2 tinha... escapado com toda essa informação de Jotunheim, e o resto do grupo não sabia disso. E [Amanda] Waller explodiu-lhe a cabeça, depois de terem voltado para a prisão".

"Nesse momento, Harley tenta falar com Bloodsport -- Bloodsport está a passar-se, porque está ligado a esta pessoa, como uma filha. Harley está de facto a ser, de uma forma esquisita, uma espécie de apoio, a tentar convencer o Bloodsport a simplesmente deixar o assunto passar", continuou Gunn, recontando a sequência de retirada do Esquadrão Suicida.


" Bloodsport acaba por disparar contra Waller no coração com uma bala inflamável e ameaçando-a de explodir. Foi um pouco complicado, mas foi algo do género. Ele não disparou contra ela no coração. Ele disparou-a mesmo abaixo do coração com uma das balas explosivas, que vemos o Peacemaker usar no início do filme. E por isso agora ela tem de fazer o que ele diz".


A personagem de Melchior é sem dúvida o coração e a alma de O Esquadrão Suicida, o menos violento e mais compassivo dos párias que povoam a Força de Intervenção X. No final do filme, Ratcatcher II - e o seu amado rato Sebastian - sobrevivem à devastação de Corto Maltese e têm uma oportunidade de uma nova vida graças à chantagem de Bloodsport sobre Waller.


O final alternativo apresentou uma versão muito mais sombria dos acontecimentos. "Estava realmente demasiado sombrio", concluiu Gunn. "Não contava realmente a história que eu queria contar, que é muito mais sobre as diferentes viagens dos personagens, emocionalmente. E para mim, na verdade, o final com o Bloodsport a acariciar o rato... foi, para mim, o final perfeito para o filme".


Podes ver a nossa análise ao filme aqui.


Já viste Suicide Squad? O que achaste? Diz-me nos comentários, ou se preferires, através do twitter em @senhor_pm sobre isto ou qualquer coisa sobre a DC ou a Marvel.

 

Sobre o autor do artigo:

Geek a tempo inteiro, PM é o fundador do projeto Tretas do Cromo. Podes segui-lo no Instagram em @senhor_pm, no twitter em @senhor_pm ou no facebook em @senhorpm.

 

O teu apoio ajuda a manter o site online, podes ajudar com uma das seguintes opções: