Buscar

Eternals: Análise ao 26º filme da Marvel Studios

Atualizado: 7 de nov. de 2021

O novo filme do MCU é diferente de tudo que a Marvel já produziu.

 

Spoilers para o Filme!!!


O 26º filme do Universo Cinematográfico da Marvel e também o terceiro da Fase 4, intitula-se de Eternals e introduz uma equipa totalmente nova de super-heróis no mundo da franquia da Marvel Studios. O filme é realizado por Chloé Zhao (Nomadland) a partir de um guião que escreveu com Patrick Burleigh (Ant-Man And the Wasp), Ryan Firpo (Bet Raise Fold) e Kaz Firpo (Refuge).


Eternals adapta as personagens da Marvel Comics com o mesmo nome, que foram criadas por Jack Kirby em 1976, trazendo os heróis extraterrestres para o mundo do MCU. Enquanto Eternals bate qualquer outro filme da Marvel Studios em termos de referências, o épico de super-herói de Zhao é diferente de tudo o que o MCU já produziu antes.

A história do filme começa em 5000 AC, mostrando como os Eternals (Eternos) são enviados para a Terra para proteger o planeta e os humanos que nele vivem dos alienígenas malignos chamados Deviants. Ao longo do tempo, a equipa combate os Deviants até estarem praticamente extintos, apesar de que os Eternals estão proibidos de se envolverem em qualquer conflito humano.


O filme retoma ao presente e mostra que a equipa se tinha separado. Sersi (Gemma Chan) vive em Londres com Sprite (Lia McHugh) e namora com o humano Dane Whitman (Kit Harington). Quando um Deviant ataca, Ikaris (Richard Madden) surge do nada e os Eternals apercebem-se de que têm de reunir novamente a sua equipa. Os três viajam pelo mundo para visitar os seus antigos membros de equipa: Ajak (Salma Hayek), Kingo (Kumail Nanjiani), Thena (Angelina Jolie), Gilgamesh (Don Lee), Druig (Barry Keoghan), Phastos (Brian Tyree Henry) e Makkari (Lauren Ridloff). Juntos, eles devem descobrir porque é que os Deviants estão de volta e elaborar um plano para proteger a Terra.


Apesar do número de personagens incluídos em Eternals, o filme de Zhao faz um excelente trabalho de tecer as suas histórias em conjunto e mostrar as várias formas como cada herói é afectado pelo seu tempo na Terra. No entanto, um enredo temático central é conseguido ao focar grande parte desse enredo em torno de Sersi e Ikaris. A sua relação amorosa terminou no momento em que o filme retoma aos dias de hoje, mas funciona como um núcleo emocional para Eternals.


O seu romance é genuinamente agradável, embora apressado, com uma montagem - que inclui uma cena de casamento que é seguida brevemente pela primeira cena erótica do MCU - desenvolvendo a maior parte do trabalho para estabelecer a relação entre Sersi e Ikaris. A sua dinâmica é muito mais complicada no enredo actual, e a tragédia do seu romance fracassado dá aos Eternals muito do seu espírito, fornecendo uma profundidade à história.


Enquanto Sersi e Ikaris recebem grande parte da atenção do filme, Eternals também dá aos outros personagens o que lhes é devido. Sprite tem o seu próprio enredo dramático enquanto luta para se encaixar num mundo que a vê como uma criança, e McHugh consegue, de forma fantástica, o delicado equilíbrio do arco que a personagem precisa. Kingo de Nanjiani actua frequentemente como um alívio cómico em Eternals, para o qual o actor é bem adequado, embora o terceiro acto pareça não saber o que fazer com ele. Thena e Gilgamesh têm a sua própria ligação íntima que não é tão explorada como a de Sersi e Ikaris, mas Jolie e Lee são uma dupla muito divertida de assistir. Keoghan, Henry, Ridloff e Hayek recebem algo com que trabalhar, mesmo que as suas personagens sejam um pouco mais do que uma presença no filme.


Ainda assim, há uma quantidade surpreendente de profundidade para Druig, Phastos, Makkari e Ajak que ou é explicitamente exposta para os espectadores ou sugerida através das acções e interacções das personagens com os outros Eternals. No geral, o filme recebeu a monumental tarefa de introduzir dez personagens completamente novas no MCU e de as desenvolver o suficiente para garantir que o público se pudesse dedicar a todas elas - e Zhao habilmente consegue fazê-lo.

Embora Eternals seja essencialmente um drama, Zhao ainda consegue incluir a maioria das principais marcas de um filme Marvel, particularmente acção e humor. A acção de Eternals é, na sua maioria, real, em grande parte porque Zhao tem o hábito de filmar as cenas de luta à luz do dia e no próprio local. Isto quer dizer que, no que toca a certas cenas de luta, não existe grande carga de efeitos especiais.


Isto faz com que o filme se torne mais imersivo e a acção mais emocionante como resultado, com excepção de certas cenas de Ikaris a voar e a lutar contra os desviants. Quanto à comédia, Eternals tem humor em abundancia graças tanto a Kingo como a Sprite. Embora grande parte da comédia seja divertida como a maioria dos filmes Marvel, há outras alturas em que uma piada diminui um momento emocional importante (embora Eternals o faça menos que Thor: Ragnarok).


Relativamente a todas as tentativas de Eternals de se destacar de outras obras do MCU - e consegue, na sua maioria, atingir este objectivo - continua a ser muito um filme Marvel. Isso pode ser reconfortante para aqueles que gostam realmente da fórmula Marvel e desanimador para outros que esperam finalmente obter um filme MCU verdadeiramente diferente.

eternals eternos

Em última análise, vale a pena ver Eternals para todos os fãs do MCU, desde os casuais até aos "hardcore". Zhao é capaz de proporcionar o suficiente de uma experiência cinematográfica Marvel diferente para que Eternals se sinta um brisa de fresca num aterrador calor que já é a forma da Marvel (pelo menos em comparação com fases passadas). A fase 4 está a provar ser uma das mais experimentais da Marvel, com Black Widow, Shang-Chi e os Dez Anéis e agora Eternals a trazer algo novo e nunca antes visto ao MCU, o que é empolgante tanto em termos para quem vê este filme individualmente como para a franquia como um todo.


O 26º filme da franquia pode criar um futuro emocionante para o MCU, mas Eternals é uma aventura emocionante e épica de super-heróis, com um cativante sentimento emocional trazido à luz pela direcção de Zhao. É um filme Marvel diferente de tudo o que o MCU tem visto até agora.


Eternals foi lançado nos cinemas na noite de quinta-feira, 4 de Novembro. Tem 157 minutos de duração e é classificado PG-13 (maiores de 12 anos) por violência e acção de fantasia, alguma linguagem e breve sexualidade.


Diz-me o que pensas do filme nos comentários.


 

Sobre o autor do artigo:

Conhecido desde infância apenas por Zé, Zé é um aficionado por super-heróis desde que se lembra.